FORMAÇÃO PEDAGÓGICA

O curso de FORMAÇÃO PEDAGÓGICA (R2) tem por objetivo viabilizar, em menor tempo, outra graduação para aqueles que já concluíram um curso de nível Superior com titulação em Bacharelado ou Tecnólogo, independentemente da área de formação.
Duração: 6 a 18 meses
Titulação: Licenciado
Modalidade: Ensino a distância (EaD)

CONFIRA OS CURSOS DE FORMAÇÃO PEDAGÓGICA

Formação Pedagógica em Ciências Biológicas Conheça o Curso
Formação Pedagógica em Geografia Conheça o Curso
Formação Pedagógica em História Conheça o Curso
Formação Pedagógica em Letras - Espanhol Conheça o Curso
Formação Pedagógica em Letras - Inglês Conheça o Curso
Formação Pedagógica em Letras - Português Conheça o Curso
Formação Pedagógica em Letras – Português e Espanhol Conheça o Curso
Formação Pedagógica em Letras – Português e Inglês Conheça o Curso
Formação Pedagógica em Matemática Conheça o Curso
Formação Pedagógica em Pedagogia Conheça o Curso

informações sobre os cursos de FORMAÇÃO PEDAGÓGICA (R2)

Funcionamento do curso
O curso de FORMAÇÃO PEDAGÓGICA (R2) tem por objetivo viabilizar, em menor tempo, outra graduação para aqueles que já concluíram um curso de nível Superior com titulação em Bacharelado ou Tecnólogo, independentemente da área de formação.

Já o curso de SEGUNDA LICENCIATURA tem por objetivo viabilizar, em menor tempo, a possibilidade do profissional da educação que atua em uma determinada área, por exemplo: História, ter uma nova habilitação e poder atuar em uma nova área, por exemplo: Pedagogia.

A Resolução Nº 2, de 1º de julho de 2015 em seu artigo 14 autoriza a realização de cursos de FORMAÇÃO PEDAGÓGICA (R2), para aqueles que já concluíram um curso de nível Superior com titulação em Bacharelado ou Tecnólogo, e em seu artigo 15 autoriza a realização de cursos de SEGUNDA LICENCIATURA, para aqueles que já concluíram um curso de nível superior com titulação em Licenciatura.

Para cursar a Formação Pedagógica – R2 ou a Segunda Licenciatura não é necessário realizar vestibular. O aluno deve realizar sua pré-inscrição preenchendo todos os dados solicitados, encaminhar os documentos necessários e pagar as taxas conforme a opção escolhida.

Além das aulas presenciais o aluno deverá assistir a vídeo-aulas online, acessar livros digitais em formato PDF e o conteúdo online pelo Portal AVA (Ambiente Virtual de Aprendizagem). Oferecemos apoio pedagógico, para esclarecimento de todas as dúvidas pelo email: tutoriar2@ibfpos.com.br, e outras ferramentas de interação.
Objetivo geral
Ao se formar, o profissional poderá atuar nas diferentes modalidades do sistema de ensino formal, como o Ensino Fundamental II, Ensino Médio, Educação de Jovens e Adultos, Educação Profissionalizante, Educação Inclusiva e a Distância, atuando como professor de uma área específica ou desempenhando atividades de planejamento, coordenação e supervisão de atividades pedagógicas.
Público-alvo
Os cursos de FORMAÇÃO DOCENTE (R2) destinam-se a graduados, Bacharéis ou Tecnólogos em qualquer área, como por exemplo: Administração, Ciências Contábeis, Direito, Jornalismo, Logística, Gestão Pública, etc., que buscam poder atuar no Magistério como Professor(a) na habilitação escolhida.

Já os cursos de SEGUNDA LICENCIATURA, destinam-se a graduados, Licenciados em qualquer área, como por exemplo: Matemática, Pedagogia, História, Geografia, etc., que busquem ampliar as áreas de atuação dentro do Magistério.

Esse é um bom momento para ingressar nesse mercado: de acordo com o Conselho Nacional da Educação, existe uma carência de aproximadamente 250 mil professores no Brasil, o que faz com que a taxa de desemprego na área seja baixíssima e as oportunidades de atuação para o licenciado se multipliquem.
Estrutura e organização do curso
As provas para validação das disciplinas são Online e são realizadas dentro do Ambiente Virtual.
Estágio curricular supervisionado
O Estágio Curricular Supervisionado é um componente obrigatório, da organização curricular, das licenciaturas, sendo uma atividade específica, intrinsecamente, articulada com a prática e com as demais atividades de trabalho acadêmico. A carga horária do estágio curricular supervisionado é de 300 (trezentas) horas. O Estágio está regulamentado pela Lei Federal nº 11.788, de 26 de setembro de 2008.
Todos os documentos necessários para a realização realização do estágio, como: Carta de Apresentação, Termo de Compromisso serão encaminhados ao e-mail do aluno a partir da QUINTA mensalidade paga. O aluno também poderá solicitar através do e-mail : tutoriar2@ibfpos.com.br . A pasta de estágio deverá ser enviada para o e-mail tutoriar2@ibfpos.com.br. A carga horária do estágio curricular supervisionado é de 300 (trezentas) horas.
Atividades complementares
Ao longo do curso o aluno deverá realizar 200 (duzentas) horas de atividades teórico-práticas, de aprofundamento em áreas específicas, por meio da iniciação científica, da iniciação à docência, da extensão, de minicursos, de seminários e de monitoria.
Local da apresentação do tcc
O TCC deverá ser um artigo de 8 a 12 páginas e deverá ser enviado por e-mail. Você possui tutoria online que fará a orientação necessária para a construção do trabalho.
visualizar legislação do curso
O Curso de Formação Pedagógica e o Curso de Segunda Licenciatura, são regulamentados pela Resolução CNE/CP nº 2/2015, para a formação inicial de profissionais do magistério para a educação básica, em nível superior.

Desde a sua concepção, pelas regras da Resolução CNE/CEB nº 2/1997, o Curso de Formação Pedagógica garantia ao seu concluinte o certificado e registro profissional equivalentes à licenciatura plena, nos termos postos no seu art. 10, a saber:

“Art. 10. O concluinte do programa especial receberá certificado e registro profissional equivalentes à licenciatura plena.”

A formação ou complementação pedagógica foi criada originalmente com a intenção de formação de professores em caráter emergencial. Mas, desde sua criação, tem formado graduados não licenciados (bacharéis ou tecnólogos) que queiram se habilitar para ministrar aulas na educação básica.

O Curso de Segunda Licenciatura atende graduados que já tenham licenciatura, independentemente da área de formação. É indicado para licenciados que queiram mudar a área específica de formação.

A Segunda Licenciatura, nos termos previstos na legislação, é equivalente à formação inicial, ou seja, à licenciatura de graduação plena. Portanto, os concluintes de segunda licenciatura têm os mesmos direitos que os de formação inicial.

Atualmente os Programas especiais de Formação pedagógica são regulamentados na Resolução CNE/CP Nº 2, de 1º de julho de 20151 2, que define as Diretrizes Curriculares Nacionais para a formação inicial em nível superior (cursos de licenciatura, cursos de formação pedagógica para graduados e cursos de segunda licenciatura) e para a formação continuada.

A Resolução CNE/CP nº 2/2015, ao delimitar o campo de formação dos profissionais do magistério para a educação básica, em nível superior, em seu art. 9º, assim prevê:

“Art. 9º Os cursos de formação inicial para os profissionais do magistério para a educação básica, em nível superior, compreendem:
I - cursos de graduação de licenciatura; 
II - cursos de formação pedagógica para graduados não licenciados; 
III - cursos de segunda licenciatura.”


A resolução prevê que a oferta dos programas (ou cursos) de formação pedagógica poderão ser ofertados por IES, preferencialmente universidades, que tenha curso de licenciatura, que seja reconhecido, com conceito mínimo 3, não sendo necessário autorização prévia. Ou seja, não tem qualquer trâmite no sistema e-MEC. Cabe à IES ofertante do programa verificar a compatibilidade entre a formação do candidato e a habilitação pretendida, nos termos do § 5º, do art. 14, da Resolução CNE/CP nº 2/2015, a seguir:

“§ 5º A oferta dos cursos de formação pedagógica para graduados poderá ser realizada por instituições de educação superior, preferencialmente universidades, que ofertem curso de licenciatura reconhecido e com avaliação satisfatória realizada pelo Ministério da Educação e seus órgãos na habilitação pretendida, sendo dispensada a emissão de novos atos autorizativos.”

A IES interessada em ofertar tais programas deverá apenas observar a carga horária mínima e demais requisitos previstos no § 1º, do art. 14, da mesma resolução, conforme segue:

“§ 1º A definição da carga horária deve respeitar os seguintes princípios:

I - quando o curso de formação pedagógica pertencer à mesma área do curso de origem, a carga horária deverá ter, no mínimo, 1.000 (mil) horas;
II - quando o curso de formação pedagógica pertencer a uma área diferente da do curso de origem, a carga horária deverá ter, no mínimo, 1.400 (mil e quatrocentas) horas;
III - a carga horária do estágio curricular supervisionado é de 300 (trezentas) horas;
IV - deverá haver 500 (quinhentas) horas dedicadas às atividades formativas referentes ao inciso I deste parágrafo, estruturadas pelos núcleos definidos nos incisos I e II do artigo 12 desta Resolução, conforme o projeto de curso da instituição;
V - deverá haver 900 (novecentas) horas dedicadas às atividades formativas referentes ao inciso II deste parágrafo, estruturadas pelos núcleos definidos nos incisos I e II do artigo 12 desta Resolução, conforme o projeto de curso da instituição;
VI - deverá haver 200 (duzentas) horas de atividades teórico-práticas de aprofundamento em áreas específicas de interesse dos alunos, conforme núcleo definido no inciso III do artigo 12, consoante o projeto de curso da instituição; ”

Estes programas não necessitam de autorização prévia e serão verificados quando dos processos de avaliação do curso de licenciatura, nos termos estabelecidos no § 5º, do art. 14, acima descrito.

No prazo máximo de 5 (cinco) anos, o Ministério da Educação, em articulação com os sistemas de ensino e com os fóruns estaduais permanentes de apoio à formação docente, procederá à avaliação do desenvolvimento dos cursos de formação pedagógica para graduados, definindo prazo para sua extinção em cada estado da federação, de acordo com o § 7º, do art. 14, da Resolução CNE/CP nº 2/2015:

“§ 7º No prazo máximo de 5 (cinco) anos, o Ministério da Educação, em articulação com os sistemas de ensino e com os fóruns estaduais permanentes de apoio à formação docente, procederá à avaliação do desenvolvimento dos cursos de formação pedagógica para graduados, definindo prazo para sua extinção em cada estado da federação.”

As IES ofertantes devem preparar os projetos pedagógicos dos Programas Especiais de Formação Pedagógica e submetê-los à análise da comissão do INEP, na oportunidade da avaliação in loco da licenciatura.

CONCLUSÃO:

Para concluir, considerando a evolução legislativa referenciada à licenciatura e os termos da Resolução CNE/CP nº 2/2015, a IES que tenha curso de licenciatura (Pedagogia, por exemplo), reconhecido com conceito mínimo 3, poderá ofertar cursos de Formação Pedagógica e de Segunda Licenciatura, em todas as demais áreas da licenciatura, sem a necessidade de autorização prévia do MEC, devendo, no entanto, observar as regras quanto as cargas horárias mínimas (arts, 143 e 154), e submeter o projeto pedagógico dos cursos à Comissão do INEP, na ocasião da avaliação in loco da licenciatura.
investimento
Investimento no Boleto:

1x de R$3.499,00
6x de R$680,00
12x de R$350,00
18x de R$255,00

**Pagando no cartão de crédito você obtém descontos, consulte com nossas(os) Consultoras(es).